0 4 min 6 meses

O dia 31 de março marca o início da ditadura empresarial-militar em 1968 e também Chacina da Baixada no ano de 2005. Por isso, a IDMJR produziu uma série de produtos e ações que tratam sobre construção da liberdade para negros e negras no Brasil e no mundo.

Acreditamos na necessidade de revisitar a produção de conhecimento das gerações anteriores para criar novas estratégias de organização e luta para a derrubar um sistema que estruturalmente nos oprime e assassina. Uma das nossas inspirações teóricas e intelectuais fundamentais é a Angela Davis, mulher negra e comunista.

Para Angela Davis, sistemas históricos de opressão tais quais a escravidão e o linchamento continuam a influenciar e solapar a democracia na atualidade. Davis se orienta e fundamenta na tese de W. E. B. DU Bois, segundo a qual, quando os negros se tornaram livres da escravidão nos Estados Unidos, negaram-lhes os direitos que os brancos sempre tiveram. 

Essa negação de direitos plenos e a criação de uma polícia genocida e um sistema carcerário emergiram como uma maneira de manter o domínio e o controle sobre populações inteiras, ou seja, Davis afirma que na democracia neoliberal não há possibilidade para a liberdade para o povo negro,

Davis investiga a noção de “Democracia da Abolição” como a democracia por vir, um conjunto de relações sociais livres da opressão e da injustiça, que perpassa pelo fim do capitalismo estruturado no racismo e patriarcado.

“Eu não sei como falar sobre essa nova realidade, a não ser encorajando as pessoas a experimentar. Esta é, na verdade, a lição que eu tiraria dos anos 1960 e 1970, quando m envolvi no que eram essencialmente modos experimentais de organizações convencionais pelos direitos civis.”

(Angela Davis)

Nossa semana se iniciará com:

Dia 29/04 – Editorial da Semana da Escravidão a Democracia da Abolição 

Dia 30/04- Artigo “Luto sem fim: o Estado brasileiro matou e ocultou o corpo do meu irmão.”de Camila Fiuza, jornalista e irmã de David Fiuza vítima de Desaparecimento Forçado em Salvador , Bahia

Dia 31- artigo “Sobre ossos, corpos e lutas: harmonias, seguranças e democracias” de Rafael Maul – membro da diretoria colegiada do GTNM-RJ/ Professor do curso de Licenciatura em Educação do Campo-UFRRJ

Dia 01/04 – Lançamento do mapa de conflitos armados no território de Belford Roxo

Dia 02/04 –  Evento Desmilitarizar o Brasil : ditadura ontem e hoje,  em parceria com Bar Maloka, Grupo Tortura Nunca Mais RJ e Rede de Comunidades e Movimento contra a Violência na praça da Cruz Vermelha com a seguinte programação:

11 h – Mobilização com falas de convidados e convidadas e distribuição de materiais na Praça Cruz Vermelha;

12:30 – Almoço;

14:30 – exibição do filme “Nossos corpos são nossos livros da IDMJR com direção da mulher preta Janaína Oliveira, seguido de bate-papo com convidados e convidadas;

16 hrs – Cultural – Esquete com o grupo de teatro Kria Daki; apresentação do Compositores da Resistência (samba de raiz) especial


Deixe uma resposta