Ir para conteúdo

CategoriaEpistemologia

BRANQUITUDE E O FREIO A RADICALIDADE

Este texto apresenta  uma  crítica  a  respeito  de como a Branquitude, inclusive a do campo progressista, freia e cria uma barreira para que a radicalidade da luta e proposições dos movimentos sociais não venham a emergir de forma ampla. Afinal, lutas sociais e enfrentamento radical as estruturas de poder, derrubam os próprios privilégios da Branquitude.

VIOLÊNCIAS, MULHERES E MILITARIZAÇÃO

Me somo como aliada, nessa campanha 8M das Pretas organizada pela Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial, trazendo de forma breve dois aspectos sobre violências que atingem as mulheres para refletirmos juntas. O primeiro pode ser resumido na seguinte frase: falar sobre estupro é falar sobre a história do Brasil. Já o segundo aspecto pode ser resumido em outra frase: discutir violências que atingem as mulheres é, necessariamente, discutir militarização. 

FORMAÇÃO SOBRE PROTEÇÃO PARA JUVENTUDES DA BXD. FLUMINENSE.

Seguimos como IDMJR mobilizando e dialogando com os nossos e nossas na Baixada Fluminense.  Fomos convidados pela Visão Mundial, com o MJPOP – Monitoramento Jovem de Políticas Públicas para realizarmos uma formação sobre segurança pública e protocolos de proteção com jovens nos territórios periféricos e favelados . A atividade   foi realizada de 13h às 17h  durante  os dias 16/02 /2022 e 17/02/2022.

DIÁLOGOS NOS TERRITÓRIOS DA BAIXADA FLUMINENSE

Iniciamos 2022 abrindo a agenda da IDMJR para atividades de roda de conversa e exibição do filme documentário “Nossos Corpos são Nossos Livros”, produzidos pela Iniciativa, que debate desaparecimentos forçados na Baixada Fluminense. Nesse contexto apresentamos, na última segunda feira (15) o filme no espaço Gato Negro Pub em São João de Meriti.