Ir para conteúdo

CategoriaViolência de Estado

MPRJ E A CHACINA DO JACAREZINHO: O DIREITO COMO LEGITIMADOR DAS VIOLÊNCIAS COMETIDAS PELO ESTADO

Nesta semana, o Ministério Público do Rio de Janeiro – MPRJ, indiciou dois policiais civis, um por fraude processual e o outro por homicídio doloso na Chacina do Jacarezinho. Após essa comunicação na grande mídia, parte de organizações de direitos humanos que se colocam no campo abolicionista, começaram a celebrar isto como uma vitória das favelas e periferias. Mas será que é realmente um avanço?

14 MESES DE PROIBIÇÃO DE OPERAÇÕES POLICIAIS

Já são 14 meses de proibição da realização de operações policiais durante o período de isolamento social em todo o território do Rio de Janeiro, a IDMJR segue acompanhando e sistematizando os principais impactos da liminar expedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin no dia 06 de junho de 2020 – ressalta-se que esta liminar foi expedida antes dos pareceres do STF para ADPF 635¹.

ARMAS NÃO LETAIS: MATAM!

utalidade policial, as forças de repressão dos EUA têm rotineiramente disparado balas de borracha contra manifestantes desarmados, de Minneapolis a Los Angeles, Phoenix a Nashville etc. Essas armas “não-letais” ou menos letais se tornaram uma ferramenta padrão do policiamento nos EUA, juntamente com gás lacrimogêneo e spray de pimenta, usadas livremente contra manifestantes e jornalistas.

VIDAS LGBTQIA+ E A LUTA PARA EXISTIR

Neste 25 de Julho, dia da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha, celebração pela vida de Tereza de Benguela e marco da força e união de mulheres negras no enfrentamento às violências, a gente aponta mais um debate fundamental: Onde estão as mulheres negras trans, travestis e lésbicas nos lugares de reivindicação compartilhados pela luta coletiva? Nossa entrevista Gilmara Cunha traz reflexões importantes sobre esses contextos.