0 5 min 10 meses

Por IDMJRacial


Em 2022, a Iniciativa Direito a Memória e Justiça Racial em parceria com o Movimento Independente Mães de Maio e o Instituto de Defesa da População Negra lançarão no primeiro trimestre a Revista Ruas e Encruzilhadas: Resistem! A Revista surge para afirmar que existem uma diversidade de epistemologias, uma destas oriunda dos becos, das vielas, das ruas e encruzilhadas.

As Universidades ainda são lugares de manutenção de privilégios e de supremacia de uma única epistemologia branca, heteronormativa, cristã, patriarcal e racista , por isto nossa revista será construída a partir de uma diversidade de formas, estéticas e linguagens no momento de apresentação dos conteúdos propostos.

A Revista será uma construção colaborativa onde iremos preferencialmente acolher produções dos movimentos sociais e coletivos, mas também teremos espaços para indivíduos, estudantes, gente das universidades. As produções podem ser assinada por vários autores(as) e de forma individual.

E hoje estamos lançando a Convocação de Seleção de conteúdos para Revista Ruas e Encruzilhadas , onde teremos como tema: a Abolição das Polícias e das Prisões.

No Brasil e no mundo já foram experimentados uma série de dispositivos de para tentar controlar as polícias, como protocolos de segurança, polícias de proximidade, armamento menos letal e outras centenas de ações  falidas, inclusive segue aumentando as arbitrariedades no  sistema prisional. Nenhuma dessas alternativas resultaram no fim do genocídio do povo negro. Na realidade, gerou um aumento na produção de morte e no o encarceramento em massa da população negra.

Organizações e movimentos para além dos debates teóricos, geraram estratégias, táticas e práticas para finalmente alcançarmos um mundo sem as lógicas punitivistas e com liberdade ampla. Afinal, o histórico de lutas da classe trabalhadora, principalmente as lutas da população negra, já demonstrou que não existe espaço para reforma das polícias, nem pela via da capacitação, ou treinamento humanizado, ou policiamento comunitário e/ ou os ditos protocolos de contenção do uso da força.

Pois, uma série de transformações e tentativas de humanização já foram experimentados e o resultado é sempre o mesmo: controle de corpos e genocídio ao redor de todo mundo.

E hoje dia (01/12), a Iniciativa Direito a Memória e Justiça Racial,Instituto de Defesa da População Negra e o Movimento Independente Mães de Maio lançam a convocação para o envio/recebimento de artigos, textos, prosas,poesias ou crônicas e fotos(imagens) que tenham como conteúdo a abolição das polícias e das prisões.

Selecionaremos 20 produtos:

08 artigos de opinião (de 02 a  05 laudas), 

07 textos livres ( de 1 a 3 laudas)

05 poesias, prosas, crônicas e/ou letras de músicas (máximo duas laudas)

05 fotos

O prazo para submissão das propostas será do dia 01/12/2021 a 20/01/2022.

A Comissão Julgadora será formada pela Iniciativa Direito a Memória e Justiça Racial, o Movimento Independente Mães de Maio , o Instituto de Defesa da População Negra e Juliana Muniz, Dina Alves, Glaucia Marinho e Luiz Baltar.

O resultado será publicado e divulgado no dia 07/02/2022 no site da Iniciativa Direito a Memória e Justiça Racial

Todos os produtos selecionados farão parte da Revista Ruas e Encruzilhadas que será lançada no seminário sobre Abolição das Polícias e das Prisões que acontecerá no primeiro trimestre de 2022.

Para participar envie suas produções para o email: dmj.racial@gmail.com

Acesse a Convocação de publicação!

A vitória do povo oprimido em qualquer lugar do mundo é uma vitória para o povo Negro. Cada vez que um dos tentáculos do imperialismo é cortado, estamos mais próximos da libertação. […] O imperialismo é um sistema internacional de exploração e, nós, revolucionários, precisamos ser internacionalistas para derrotá-lo”. (Assata Shakur)


Deixe uma resposta