0 3 min 2 meses

por Fransérgio Goulart

A partir do monitoramento do projeto de Olho na Alerj sobre Segurança Pública temos visto os partidos de direita da ALERJ utilizando se de discussões e lutas sociais, como desaparecimentos forçados, garantia da memória, questões de gênero e enfrentamento à violência por um prisma conservador e militarizado.

O Deputado Estadual da bancada da bala e bolsonarista Anderson de Moraes (PL) propôs seu Projeto de Lei n 4520/2021 que autoriza o Poder Executivo a criar um memorial em homenagem aos policiais mortos em serviço no Estado do Rio de Janeiro.

Sob a justificativa para dar resposta a construção de um memorial para as “vítimas” da operação policial na comunidade do Jacarezinho/RJ construído por organizações e movimentos sociais que foi logo em seguida demolido pela Coordenadoria de Operações Especiais – CORE.

A proposta legislativa será discutida no dia 06/10 às 15h no Plenário da Alerj e irá receber os pareces das Comissões Temáticas da casa para dar continuidade a sua tramitação.

A IDMJRacial entende que é inaceitável a construção de um memorial para homenagear agentes de segurança pública que operam uma política genocida. O Estado deveria ser responsabilizado pelas inúmeras mortes resultantes de sua política tacanha e assassina de segurança pública.

Somos contrários a qualquer construção de memória que valorize a história de quem oprime e extermina com a classe trabalhadora brasileira. Chega de monumentos que representam as histórias de militares e do Estado, enquanto máquina de violar direitos. Por isto, temos a certeza que não será o Estado que garantirá as nossas memórias de luta e resistência e de todos/as que foram levados pela política de morte do Estado Brasileiro.


Deixe uma resposta