Ir para conteúdo

CHUVAS NO RIO: AS INUNDAÇÕES DE CELAS NO SISTEMA PRISIONAL

Por Fransérgio Goulart


Desde ontem o Estado do RJ vem sofrendo com as chuvas e a ausência de políticas públicas de urbanização e saneamento básico para a população.

Segundo informações que nos chegam, o Complexo Penal de Bangu está sofrendo com a inundação das celas que gerou a suspensão de visitas de amigos e familiares sem aviso prévio.

Relatos também apontam que os presos ficaram sem o café da manhã. Familiares protestaram contra mais essa violação de direitos humanos feita pelo Estado.

Ressaltamos que familiares de presos que ficam no presídio em Água Santa estão sem informações de como está a situação interna no presídio. Ademais, as celas de Água Santa são subterrâneas.
Exigimos informações sobre esses fatos!

Vale considerar que violações no sistema prisional são históricas!

Um levantamento realizado pelo Mecanismo para Prevenção e Combate à Tortura revela que as mortes nas unidades prisionais fluminenses aumentaram 114% em sete anos, subindo de 125 em 2010 para 268 em 2017 – a maior parte delas relacionadas a doenças.

Dados da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) apontam que, em 1998, o Rio tinha 18 mil presos. Passados 20 anos, esse número saltou para 54 mil. Nesse mesmo período, o número de profissionais de saúde para atender os presos caiu de 1,2 mil para 450.

Há 50 unidades carcerárias que podem abrigar até 28 mil pessoas no Rio de Janeiro. Porém, na realidade abrigam 51 mil pessoas encarceradas. Quase duas vezes mais da capacidade máxima !


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: