Ir para conteúdo
Últimas

TERROR DE ESTADO: A TORTURA NAS PERIFERIAS

Tortura e Desaparecimentos Forçados são cenas do cotidiano da Baixada Fluminense, e em alusão ao dia 26 de junho, Dia internacional de luta contra a Tortura, a IDMJR vem ressaltar a brutal dinâmica de violência na Baixada Fluminense, como mais um dispositivo de denuncia contra a toda violência e tortura diária perpetrada pelo Estado Racista Brasileiro.

EDITORIAL: POR QUE PRECISAMOS FALAR DE POLÍTICA DE DROGAS NA BAIXADA FLUMINENSE?

Em recente relatório produzido pela IDMJR sobre o impacto de 01 ano de suspensão das operações policiais na Baixada Fluminense expedida pelo Supremo Tribunal Federal, ao monitorarmos as operações policiais, nos deparamos que 90% das operações policiais realizada pela PM tiveram como motivações a apreensão de drogas e armas, encarceramento e tráfico de drogas, ou seja, o Estado a partir das polícias produzem a morte e o encarceramento da população negra sobre o discurso de guerra as drogas, que na real é guerra aos negros e periféricos.

LANÇAMENTO: RELATÓRIO OPERAÇÕES POLICIAIS

A IDMJR de forma inédita publica o Relatório de 1 ano de Operações Policiais na Baixada Fluminense, fruto da nossa incidência política coletiva na ADPF 635, a ADPF das Favelas. Com exclusividade, o Relatório também se debruça nas relações de poder da geopolítica cotidiana dos territórios na Baixada, adicionando também um levantamento das prisões efetuadas durante as operações policiais.

ENFRENTAMENTO A POLÍTICA DE MORTE DO ESTADO – UMA INCIDÊNCIA POLÍTICA NO ORÇAMENTO PÚBLICO

Dado a este cenário de bastante retrocesso e intensificação da militarização de todas as esferas da vida social, a IDMJR junto com outras organizações sociais e movimentos sociais articulados com as assessorias parlamentares construiu uma incidência política para impedir a execução de uma política de segurança pública de produção de morte.

PODER DO ESTADO: AUTONOMIA DAS POLÍCIAS

A partir da eleição de Bolsonaro e do agora impeachmado Wilson Witzel (PSC), ocorreu a intensificação da política de Segurança Pública baseada no controle das milícias, assistimos as polícias militares e civil ganhando força política, orçamentária e bélica, um grau de autonomismo pouco visto na história da Política de Segurança Pública do Estado do RJ. Ressalta-se que essa autonomia das polícias não está dissociada da escolha política do Estado, pelo contrário, implementa o projeto político do Estado através do encarceramento em massa e genocídio cotidiano do povo negro.

LDO 2021 – ORÇAMENTO DE SEGURANÇA PÚBLICA

A Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial a partir do seu projeto de Olho na Alerj que visa monitorar e sistematizar as proposições legislativas no campo da Segurança Pública, publica o Dossiê Orçamentário: LDO 2022-Produção da Morte. Neste Dossiê Orçamentário, analisamos a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022 enviada pelo governador Cláudio Castro (PSC) na temática de Segurança Pública.

FALSA SAÍDA: CÂMERAS NAS VIATURAS E UNIFORMES DOS POLICIAIS

Está em votação hoje na Alerj, o Projeto de Lei de nº 265/2015 de autoria do Deputado Estadual Carlos Minc (PSB) dispõe que o Poder Executivo deverá instalar câmeras de vídeo e de áudio nas viaturas automotivas que vierem a ser adquiridas para servir as áreas de Segurança Pública e Defesa Civil, e também autoriza a instalação de microcâmeras nos uniformes dos policiais.

CHACINA DO JACAREZINHO: ABOLIR A POLÍCIA É O ÚNICO CAMINHO

Ontem, dia 06 de maio de 2021, mais uma favela, neste caso a favela do Jacarezinho sofreu com a Violência Policial. A operação gerou o assassinato de 29 pessoas, este fato não é algo isolado ou aleatório, pelo contrário é uma regra e histórico. Diante de mais essa carnificina realizada pelo Estado contra um território negro abolir a polícia é o único caminho. Não trata-se de um sonho, e sim, algo concreto e já é uma realidade e está em processo.

BRANQUITUDE, ESQUECIMENTO E RACISMO

Era o ano de 2019, quando um militante de um movimento social que se colocava como um desconstruído na luta antirracista e que dizia reconhecer seus privilégios, realizou uma série de ações racistas contra um corpo de uma mulher negra, também militante.

QUILOMBO HIDRA DE IGUASSÚ: MEMÓRIAS E RESISTÊNCIAS NA LUTA CONTRA AS VIOLAÇÕES DO ESTADO

A história da Baixada Fluminense é atravessada pela ideia de que esses municípios são abandonados e negligenciados, tendo uma população sem identidade coletiva, porém quando analisamos os processos de apagamento que a baixada sofreu percebemos que essa narrativa foi estruturada para o não pertencimento, sendo essas características pejorativas parte de uma produção sistematizada pelo Estado.

#DIADABAIXADA E ATUAÇÃO DA INICIATIVA

A IDMJR tem por um dos seus eixos de trabalho/militância a garantia da memória e não esquecimento do legado do nosso povo. Por isso, iniciamos hoje as comemorações do 30 de abril – Dia da Baixada. Memórias e Resistências contra a violência do Estado que busca reafirmar que nossos passos na luta vêm de muito longe!

GEORGE FLOYD: DO ASSASSINATO AO JULGAMENTO

Durante a última semana o julgamento do policial Derek Chauvin que assassinou George Floyd mobilizou o mundo inteiro, e não foi diferente aqui no Brasil. Com o resultado do julgamento e o policial sendo declarado culpado, movimentos e Organizações negras e de direitos humanos celebraram essa condenação, mas a reflexão que desejamos partilhar com vocês é: será que toda essa celebração não pode potencializar o direito penal ou criminal que nos mata e encarcera todo o dia? Será que essa condenação , resolverá o problema da Violência policial nos EUA contra a população negra?